Orçamento participativo: a visão do graduando em gestão pública

Richard Medeiros Araújo, Jorge Morais Maia

Resumo


Este paper objetivou identificar qual a percepção dos graduandos em gestão pública sobre a adoção do orçamento participativo como uma técnica de gestão efetiva. Para tal, realizou-se uma pesquisa exploratório-descritiva com abordagem quantitativa. O universo eram graduandos em gestão pública, cuja amostra por acesso foi de 482 estudantes. Para tratar os dados adotaram-se as estatísticas descritiva e multivariada, com a técnica análise fatorial exploratória. O instrumento questionário era composto por dois blocos de questões, o primeiro, sociodemográfico e o segundo suportado por uma escala de grau de concordância de cinco pontos e composto de 19 (dezenove) variáveis. Dentre os resultados, têm-se a formação de seis fatores que explicam a percepção dos alunos quanto ao orçamento participativo, com ênfase aos fatores O orçamento participativo deve ser implementado independente de fatores políticos, detenho o conhecimento sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal e Orçamento Participativo e O gerencialismo é o melhor modelo para se implementar o orçamento participativo. Outro resultado é a noção sobre a prática do orçamento participativo que o curso de gestão pública desenvolve nos alunos, que se mostrou importante e presente. Conclui-se que os alunos compreendem os conceitos que norteiam o orçamento democrático e sabem que o contexto de aplicação ideal é o modelo de gestão publica moderna.


Palavras-chave


Orçamento participativo; Análise Fatorial; Administração Pública

Referências


ALVRITEZ. L. O Orçamento participativo e a teoria democrática: um balanço critico. In: ALVITREZ e NAVARRO (orgs). A inovação democrática no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

AVRITZER, Leonardo e NAVARRO, Zander (orgs). A inovação democrática no Brasil: o Orçamento Participativo. São Paulo: Cortez, 2003. Disponível em Acesso em 20. Maio 2012.

BRASIL. Lei Complementar Responsabilidade Fiscal 101/2000. Disponibilizado em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp101.htm>. Acessado em : 14 set., 2012

BRASIL. Estatuto das Cidades, 2001. Lei Complementar n° 10.527 de 10 de julho de 2001.

COUTINHO. Marcelo J. V. Administração pública voltada para o cidadão: quadro teórico-conceitual. Revista do Setor Público. N° 3, jul-set, 2000.

CRONBACH, L. J. Fundamentos da testagem psicológica. 5. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

COLLIS, J.; HUSSEY, R. Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. 2. ed. trad. Porto Alegre: Bookman, 2005.

DENHARDT, Robert B.. DENHARDT, Jane V. The New Public Service: Serving, not Steering. New York: M.E. Sharpe, 2007.

FERREIRA. Denise. Q. Orçamento Participativo: instrumento de democratização da administração pública. Contab vista e Revista Belo Horizonte. v. 14, n. 3. P. 65-88, dez,2003.

FEDOZZI, Luciano et al. Orçamento participativo: reflexões sobre a experiência de Porto Alegre. Rio de Janeiro: Tomo Editorial. (Observatório de políticas urbanas de gestão municipal; IPPUR/FASE), 1997.

GENRO, Tarso; SOUZA, Ubiratan. Orçamento participativo: a experiência de Porto Alegre. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo. 1997.

GIACOMONI, James. A comunidade como instância executora do planejamento: o caso do orçamento participativo de Porto Alegre. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, V.28, N/ 2, p. 46-60, abr./jun. 1994.

GIL. Antônio Carlos. Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 1993.

GOULART. Jefferson O. Orçamento Participativo e Gestão Democrática no Poder Local. Lua Nova, São Paulo, v. 69: p.49-78, 2006

GOW James Iain e DUFOUR Caroline Is the New Public Management a Paradigm? Does it Matter?. International Review of Administrative Sciences. v. 66, p. 573–597, 2000.

HAIR. Jr.; CORRAR, Luiz J.; PAULO, Edilson; FILHO, José Maria Dias. Análise multivariada: para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. São Paulo: Atlas, 2009.

JACOBI, P. Políticas sociais e ampliação da cidadania. Rio de Janeiro:

Editora da FGV, 2000. In: PAES DE PAULA, A. P. Administração Pública Brasileira: entre o gerencialismo e a gestão social. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, 45(1): 36-52, Jan/Mar. 2005.

KNAAP. Peter Van Der. Approach Performance Management and Policy Evaluation in the Netherlands : Towards an integrated approach. Evaluation. v. 6, p. 335-350, 2000. Sage Publications.

MEC. Ministério da Educação. EMEC: Instituições de ensino superior e cursos cadastrados. Disponibilizado em < http://emec.mec.gov.br/> . Acessado em : 10 de setembro de 2012.

MADUREIRA, César, e RODRIGUES Miguel. A Administração Pública do século XXI: Aprendizagem organizacional, mudança comportamental e reforma administrativa. Comportamento Organizacional e Gestão. v. 12, n.º 2, 153-171, 2006.

OLIVEIRA, Silvio Luiz de. Tratado de metodologia científica. São Paulo: Pioneira, 2002.

PAES DE PAULA, A. P. Administração Pública Brasileira: entre o gerencialismo e a gestão social. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, 45(1): 36-52, Jan/Mar. 2005.

PETERS. Guy B. Policy Instruments and Public Management. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 10, p.35-47, 2000.

PIRES, Valdemir. Orçamento Participativo: o que é, para que serve, como se faz. São

Paulo: Manole, 2001.

PIRES. V. A. ; MARTINS. L. de J. Orçamento Participativo (OP) após vinte anos de experiências no Brasil: mais qualidade na gestão orçamentária municipal?. In: ENCONTRO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, qual o número do evento? 2004, Curitiba. Anais. Rio de Janeiro: XXXV EnANPAD, 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2012.

RODRIGUES, Adriano; PAULO, Edilson. Introdução à análise multivariada. In:

SOUZA. E de Castro de L. A capacitação administrativa e a formação de gestores governamentais. Revista de Administração Pública. V. 36, p. 73-88, jan/fev, 2002.

SILVA. C. N; RODRIGUES. A.;REIS H. C. Orçamento e contabilidade. Rio de Janeiro. IBAM – SOMMA/BDMG,1997.

SUCUPIRA, João. Democratização do Orçamento. Seminário de quarta pesquisa. Rio de Janeiro. EBAPE/FGV. 9 de setembro de 2000.

TOONEN, Theo. Administrative Reform: Analytics. Handbook of public administration. 2003. Sage Publications. 07 de abril de 2010.. acessado em 10 de agosto de 2012.

TRISTÃO. Gilberto. Transparência na administração pública. VII Congreso Internacional del CLAD sobre la Reforma del Estado y de la Administración Pública, Lisboa, Portugal, 8-11 Oct. 2002.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Administração Pública e Gestão Social e-ISSN: 2175-5787

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.