O Movimento “Campo de Públicas”: Construindo uma Comunidade Científica dedicada ao Interesse Público e aos Valores Republicanos

Tania Mezzomo Keinert

Resumo


RESUMO:Este artigo objetiva refletir sobre o movimento "Campo de Públicas", enquanto área de estudos, ensino, pesquisa e prática profissional; indagando em que medida se caracteriza como uma "comunidade científica", termo utilizado na acepção Kuhniana. Baseia-se em pesquisa teórico-empírica de base documental e bibliográfica. Inicialmente identifica-se um "paradigma emergente" relacionado ao interesse público e aos valores republicanos, como parâmetro delimitador de uma identidade coletiva assumida pelos próprios integrantes do movimento, que lhe dá características de uma comunidade científica em construção. Discute-se a trajetória histórica da área de ensino e pesquisa no Brasil, marcada por crises e redefinições, até iniciar seu processo de autonomização conquistando Diretrizes Curriculares Nacionais próprias. Em seguida, discute-se teoricamente os conceitos de interesse público e republicanismo que dão sustentação à emergente comunidade científica. Ao final, elencam-se alguns desafios e possibilidades colocados ao "Campo de Públicas", no sentido de afirmar sua condição de comunidade científica.

 


Palavras-chave


Administração Pública, Paradigmas, Ensino e Pesquisa

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21118/apgs.v6i4.753

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Administração Pública e Gestão Social e-ISSN: 2175-5787

Editora: Universidade Federal de Viçosa

Google Scholar: Índice h5 6

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

 

 

QUALIS/CAPES

B1 - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO

B2 - CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS

B2 - DIREITO

B2 - INTERDISCIPLINAR

B2 - PSICOLOGIA

B2 - SERVIÇO SOCIAL

B3 - ECONOMIA

B3 - CIÊNCIAS AMBIENTAIS

B3 - PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA